©
Para provar novos chás, é preciso esvaziar a xícara.
by Caio Fernando Abreu.  (via arruinei)

(Fonte: cinderela-refinada, via arruinei)

Eu gosto do labirinto dos seus braços. No pior dos casos: eu me perco em você.
by Eu me chamo Antônio. (via romantizar)

(Fonte: intricada, via oceanoporvoce)

Talvez a culpa não seja das estrelas. Talvez eu não me chame Antônio. Talvez você não deva destruir este diário. Talvez essa não seja a última música. Talvez o John não seja querido. E talvez não exista vantagens em ser invisível. Mas tudo bem, o meu P.S Eu te amo nunca mudará.

(Fonte: heroinadecristal, via diluir--me)

Às vezes, não há nenhum aviso. As coisas acontecem em segundos. Tudo muda. Você está vivo. Você está morto. E as coisas continuam. Somos finos como papel. Existimos por acaso entre as percentagens, temporariamente. E esta é a melhor e a pior parte, o fator temporal. E não há nada que se possa fazer sobre isso. Você pode sentar no topo de uma montanha e meditar por décadas e nada vai mudar. Você pode mudar a si mesmo para ser aceitável, mas, talvez, isso também esteja errado. Talvez, pensemos demais. Sinta mais, pense menos.
by Charles Bukowski  (via aturdir)

(Fonte: recomendar, via aturdir)

Todos nós vamos morrer, que circo! Só isso deveria fazer com que amássemos uns aos outros. Mas não faz.
by Charles Bukowski.  (via palavrisses)

(Fonte: desembarcou, via palavrisses)